Desde do último sábado (29), os brasileiros vacinados contra a Covid-19 não precisam apresentar um teste (PCR ou rápido de antígeno) negativo para entrar na Argentina.

A nova medida vale para pessoas que estejam em qualquer um dos países vizinhos (Chile, Bolívia, Paraguai, Brasil e Uruguai) há no mínimo 14 dias.

A exigência de teste é feita pelo governo argentino desde novembro do ano passado, quando começou a ser flexibilizada o trânsito de pessoas entre os países.

O viajante deverá apresentar às autoridades argentinas um comprovante de vacinação demonstrando esquema vacinal completo (duas doses ou dose única) há ao menos duas semanas.

A pessoa não precisará cumprir quarentena ou apresentar teste negativo para o coronavírus, porém, deverá comprovar que possui seguro de saúde que cubra serviços de internação, isolamento e transporte médico em casos de Covid-19.

Menores de idade que não tenham a vacinação completa não precisarão cumprir a quarentena, mas as autoridades da Argentina recomendam que a pessoa evite atividades em grupos nos primeiros sete dias após a chegada do país, as pessoas desse grupo devem realizar, até 72 horas antes da viagem, o teste para comprovar que não estão infectadas. Os custos para a realização do exame ficam por conta do viajante.

Já menores de seis anos de idade estão isentos tanto de apresentar o teste negativo quanto de cumprir a quarentena.

Por fim, os não vacinados contra a Covid-19 deverão cumprir todos os requisitos citados (teste negativo, quarentena e seguro de saúde), além de apresentar um certificado médico que demonstre a isenção da necessidade de se vacinar contra a Covid-19.

O documento deve ter o aval da autoridade sanitária do país de origem do viajante, e certificação consular da Argentina pelo órgão competente.